quarta-feira, 4 de junho de 2014

NOVIDADE!

Olá a todos!

Fui convidada para escrever semanalmente no site “Comércio Exterior Brasileiro – CEB” e gostaria de convidá-los também para conhecer o site e acompanhar as novidades.

Segue o site:  www.comercioexteriorbrasileiro.com.br

Abaixo transcrevo o primeiro artigo que já está publicado lá!

********************************************************

QUERO IMPORTAR, POR ONDE COMEÇO?


Olá pessoal!

Este é meu primeiro artigo aqui no site CEB, e eu gostaria de agradecer o convite feito pelo Raphael Almeida e também comunicá-los que escreverei aqui semanalmente sobre temas relevantes da área de comércio exterior.

Vou relatar sobre algumas experiências do dia a dia assim como comentar sobre novidades interessantes da área.

Então, vamos lá...
  
Sabe quando você começa a comparar os preços dos produtos vendidos aqui no Brasil com os que são vendidos nos Estados Unidos, China, Europa – e percebe uma grande disparidade entre eles?

Pois é.

A primeira ideia que passa na cabeça (claro rs) da maioria das pessoas é: “Vou abrir meu próprio negócio e vender estes produtos aqui no Brasil por um preço muito mais barato!”, na sequência, o pensamento imediato é “Vou ganhar muito dinheiro!!”.

Mas, as coisas não são bem assim, e o famoso “Custo-Brasil” é o protagonista da história. Por isso, a resposta para a pergunta do nosso título de hoje é: “Comece pesquisando e planejando tudo na ponta do lápis”.


E por onde começar a pensar?


Tenham em mente a seguinte FÓRMULA:



Assim, irei descrever cada fator desta fórmula para que vocês possam entendê-los e verificar o CUSTO destes:

1) HABILITAÇÃO NO RADAR – RECEITA FEDERAL DO BRASIL

A habilitação no RADAR é um credenciamento da empresa (pessoa jurídica) ou da pessoa física junto à Receita Federal para poder efetuar operações de importação e exportação.

Esse credenciamento pode ser feito pelo próprio importador e não há cobrança da Receita Federal. Ou, pode ser contratado o serviço de um despachante aduaneiro/comissária de despachos. Porém, no caso de um despachante ou comissária irão cobrar um valor por este serviço.


2) FRETE INTERNACIONAL - AGENTE DE CARGA

Para poder trazer a mercadoria até o Brasil terá que ser contratado um frete internacional. E a melhor forma é através de um agente de carga

O agente de carga é quem revende os espaços nas aeronaves/navios para os importadores. Deve-se pesquisar e cotar fretes com vários agentes de carga, para poder contratar o que melhor preço e prazo tiver. Há uma grande diferença de preços e prazos neste mercado.

DICA! Como via de regra, cargas mais leves vêm de avião, e cargas mais pesadas de navio. Pois o frete aéreo é mais caro que o frete marítimo, e o peso é o fator que tem maior influencia neste cálculo.


3) DESEMBARAÇO ADUANEIRO - DESPACHANTE ADUANEIRO

O despachante aduaneiro é um profissional que atua como representante dos importadores frente aos diversos órgãos governamentais nos procedimentos aduaneiros.

Os procedimentos aduaneiros de importação se traduzem no dia-a-dia em acompanhar o início do despacho aduaneiro da mercadoria até o seu término, que culmina no DESEMBARAÇO ADUANEIRO, que é liberação da mercadoria.

Para o desembaraço aduaneiro, pode ser contratado um profissional autônomo (despachante aduaneiro), ou uma comissária de despachos, que é uma empresa que presta serviços na área aduaneira e tem despachantes aduaneiros como funcionários também.

DICA! O Sindicato dos Despachantes Aduaneiros define e sugere valores máximos e mínimos de honorários a serem pagos para o despachante pela prestação do serviço. Para mais informações podem consultar o site: www.sindaspcg.com.br.


4) TRIBUTOS DEVIDOS – MERCADORIA/CLASSIFICAÇÃO FISCAL

A classificação fiscal ou Nomenclatura Comum do Mercosul (NCM) é composta por um código de 8 dígitos e ordena as mercadorias de acordo com a sua natureza. Todas as mercadorias estão classificadas através deste código na TEC (Tarifa Externa Comum) e da TIPI (Tabela do IPI). E é através da NCM que conseguimos apurar as alíquotas dos impostos e benefícios que irão incidir na importação.

DICA! Existe um Simulador dentro do site da Receita Federal que faz os cálculos dos impostos devidos para a mercadoria escolhida, vejam: 

http://www4.receita.fazenda.gov.br/simulador/


É muito útil! 


5) ARMAZENAGEM DA MERCADORIA ENQUANTO AGUARDA LIBERAÇÃO.

Por fim, a mercadoria até ser liberada ficará necessariamente armazenada em um depósito no aeroporto/porto, gerando mais um custo. O valor da armazenagem é calculado baseado em dados como valor e o peso da mercadoria.

DICA! Existe um site que faz o cálculo estimado da armazenagem, e o mais interessante é que está divido por Aeroportos e Portos, segue o link:

http://www.sacarmazenagem.com.br/calculo-armazenagem/terminais/libra.html


Pode parecer complicado, mas é possível fazer este planejamento da importação. Apenas sigam os passos que eu informei e terão uma ideia de custos. Para um planejamento mais acurado, indico que contratem um profissional da área para prever todos os cenários que poderão ocorrer.

Se pesquisarem todos estes pontos, e conseguirem estimar os custos que são previsíveis na importação já será possível decidir se vale ou não a pena a venda do produto importado no mercado interno.

Para mais informações sobre o Custo de uma Importação, podem dar uma olhada na postagem do meu blog, segue abaixo:

http://sosimportacao.blogspot.com.br/2013/11/quais-os-custos-de-uma-importacao.html


Até logo!

*********************************************************

2 comentários:

  1. Muito bom o artigo, a forma simples e clara com que é explicada fica muito mais fácil para se entender. Obrigado, o site é top !

    ResponderExcluir